JUSTIÇA

Marcado julgamento de acusados de matar Kleber Malaquias

Mãe do empresário assassinado em 2020 denuncia morosidade da justiça ao ministro Ricardo Lewandowski
Por José Fernando Martins 11/02/2024 - 08:00

ACESSIBILIDADE

Divulgação
Kleber Malaquias
Kleber Malaquias

Em uma tentativa desesperada de buscar justiça para o assassinato de seu filho, a dona de casa Evanir Maria Malaquias de Oliveira enviou uma carta ao ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski, solicitando a federalização do caso do empresário Kleber Malaquias, morto em 15 de julho de 2020, na Casa da Buchada, na Mata do Rolo.

De acordo com as investigações, Kleber Malaquias foi levado ao local por “amigos” que aguardavam a chegada do atirador. O empresário, conhecido por seu engajamento no combate à corrupção em Rio Largo, foi alvejado dentro do banheiro do estabelecimento no dia de seu aniversário de 41 anos.

O julgamento de três dos seis participantes identificados pelo homicídio está marcado para o dia 25 de julho, às 9h, no Fórum de Rio Largo. Os réus que vão enfrentar o júri são os ex-militares Fredson José dos Santos e Edinaldo Estevão de Lima, e o sargento José Mário de Lima Silva. O julgamento dos demais acusados Jefferson Roberto Serafim da Rocha, Marcelo José Souza da Silva e o ex-militar Marcos Maurício Francisco dos Santos ainda não foi agendado.

Na carta endereçada ao ministro, Evanir implora por uma investigação mais acurada, afirmando que até o momento apenas os executores estão presos, enquanto os mandantes permanecem impunes, protegidos pelo poder econômico e político. Ela destaca ainda que seu filho lutava pelo fim da corrupção, contribuindo com investigações em Rio Largo e em Alagoas.

Evanir relata também o impacto do crime em sua família, mencionando que seu esposo entrou em depressão e faleceu, enquanto seu filho mais novo teve que se mudar para outro estado com sua família.

Conforme os autos do processo, estão presos: Edinaldo Estevão de Lima, José Mario de Lima Silva e Fredson José dos Santos. O restante está em liberdade. A ação conta com 26 testemunhas que depuseram no caso. O processo de número 0700779-89.2021.8.02.0051, por homicídio qualificado, tramita na 3ª Vara de Rio Largo/Criminal.

Confira a carta na íntegra

Excelentíssimo Ministro,

Estou escrevendo esta carta na última esperança de Justiça contra o crime bárbaro e covarde cometido contra meu filho, Kleber Malaquias, que foi assassinado no dia do seu aniversário, em 15 de julho de 2020, no município de Rio Largo, no estado de Alagoas. Até esta data, apenas os executores estão presos, enquanto quem mandou executar ainda se encontra impune, protegido pelo poder econômico e político.

Meu filho era um jovem empresário que amava sua cidade e tanto lutou contra a corrupção existente, contribuindo com o Ministério Público Estadual e Federal em diversas investigações que resultaram na prisão de diversos corruptos em Rio Largo e na investigação de muitas pessoas em Alagoas. Devido à influência política e econômica que tem atrapalhado, vejo a necessidade da federalização do caso.

Minha família foi destruída por esses criminosos. Meu esposo entrou em depressão, passou a ter diversos problemas de saúde e faleceu. Meu filho mais novo foi para outro estado com sua família. Eu sofro com tudo isso, com a impunidade, e não me sinto segura em lugar nenhum. Clamo todos os dias por justiça para meu filho e pelo fim da impunidade. E vendo como única forma para a condenação e prisão de quem mandou matar meu filho a federalização do caso, não apenas a investigação para a Polícia Federal, mas também para o Ministério Público Federal e a Justiça Federal, assumindo todo o processo. Clamo ao Excelentíssimo Ministro por sua atenção a este clamor de uma mãe que não tem mais a quem recorrer e sofre diariamente com a impunidade.

Atenciosamente, 

Evanir Maria Malaquias de Oliveira

Publicidade


Mantenha-se muito bem informado com as notícias mais importantes do dia de graça direto no Telegram.
Encontrou algum erro? Entre em contato